Carro fazia parte de um projeto de preparação para chegar a 1.600 cavalos.

Antes dos estragos causados pela chuva, donos planejavam leilão beneficente no final da transformação.

Lamborghini Huracán avaliada em R$ 1,6 milhão foi pega por alagamento em São Paulo Fernando Santos/Arquivo Pessoal As fortes chuvas que causaram alagamentos em São Paulo no início da semana provocaram destruição pela cidade.

Estacionamentos foram invadidos pela água e vários carros, até mesmo uma Lamborghini Huracán avaliada em R$ 1,6 milhão, foram atingidos. Ao G1, o projetista Fernando Santos, que estava com o carro de luxo em sua residência no dia do incidente, disse que o veículo não era segurado.

“Não sei o tamanho do prejuízo, e se o carro tem recuperação.

O carro não tem seguro, porque ele ia entrar em preparação”, afirmou Santos, que tem o nome profissional de Fernando Mutant.

O veículo estava em um condomínio na Vila Leopoldina, em São Paulo, quando as enchentes da última segunda-feira (10) começaram.

“O que era um sonho acabou virando um pesadelo”, disse o projetista, que ainda não conseguiu dormir desde que a garagem do edifício foi tomada pelas águas. Veja as 10 motos mais caras do Brasil; Ducati de R$ 700 mil lidera Enchentes: veja quando vale atravessar, e o que fazer se teve prejuízo com o carro O modelo pertence a uma empresa produtora de conteúdo e está envolvido em um projeto chamado de "Mutant Supercars", que iria produzir uma série de vídeos mostrando o processo de preparação do carro, que seria feito no Brasil.

De acordo com Fernando Santos, o carro foi recebido por uma doação, e o dinheiro levantado em um futuro leilão, ao final do projeto, seria destinado a alguma entidade assistencial. Lamborghini Huracán antes de ser atingida por enchente em São Paulo Reprodução/Mutant Supercars ‘O carro não é de milionário’ Sobre a grande repercussão que o caso teve, ele afirma que tem acompanhado o que as pessoas estão falando nas redes sociais. “Tem muito comentário negativo, mas ninguém imagina o que tem por trás dessa história”, explicou o preparador. Ele afirma que o carro faz parte de um projeto que pretende levar a Lamborghini passar de 610 cavalos para 1.500 cavalos.

O cupê sai de fábrica com motor V10 5.2 com 57,1 kgfm de torque com injeção direta e indireta, câmbio automatizado de dupla embreagem de sete marchas e tração nas quatro rodas.

De acordo com dados da montadora, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em apenas 3,2 segundos, e de 0 a 200 km/h em 9,9 segundos.

A velocidade máxima é de 325 km/h. “É uma história que tem o outro lado da moeda.

Tem um lado solidário.

Não é um milionário igual todo mundo está comentando, que teve um prejuízo, e amanhã vai comprar um outro carro zero de novo.

É uma ação social que foi prejudicada”, completou. Fernando 'Mutant' Santos é o projetista que estava com a Lamborghini atingida pelas águas Reprodução/Mutant Supercars G1 avalia o primeiro Porsche elétrico Primeiro elétrico da Porsche é um sedã de 4 portas que acelera como uma Ferrari; G1 andou